shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0,00
View Cart Check Out

Quando os árbitros são os protagonistas…

O futebol é uma das modalidades mais bonitas do mundo quando num jogo se realça a capacidade física, técnica e tática das equipas e dos jogadores.

Ontem, em Macieira de Cambra, nada disso aconteceu.
A equipa de arbitragem quis assumir o protagonismo do jogo e conseguiu-o, relegando o desempenho das equipas e dos jogadores para segundo plano.

Os “senhores” árbitros chegaram a Macieira de Cambra quando faltava menos de meia-hora para o início da partida, justificando o atraso com o facto de, na parte da manhã, terem estado a arbitrar um jogo de iniciados, em Arouca, no qual expulsaram três atletas da equipa da casa e, no final do mesmo, terem passado por dificuldades para abandonar o campo.

Logo nos primeiros minutos do jogo, o árbitro principal mostrou ao que vinha exibindo um cartão amarelo sem qualquer fundamento ao capitão do SC Beira-Mar, Pedro Moreira.

Mas o recital da asneira estava guardado para os últimos minutos da primeira parte quando, sem nada que o justificasse, o árbitro decide mostrar cartão vermelho direto (!) ao jogador Mark Vale, por alegadas palavras do jogador auri-negro dirigidas para o banco do Macieira de Cambra. Ao invés, as provocações e picardias bem audíveis que eram sucessivamente emanadas pelos elementos do clube da casa que estavam no banco de suplentes não mereceram da parte do árbitro ou do seu 1º assistente qualquer sanção ou sequer repreensão! Inqualificável a dualidade de critérios demonstrada e a forma como fragilizou uma equipa deixando-a com menos um jogador em campo ao mesmo tempo que garantia que o mesmo ficará impedido de prestar o seu contributo nos jogos seguintes. Não satisfeito, quando ainda faltavam jogar alguns minutos da primeira parte, o árbitro chama os seus colegas de equipa e decide abandonar o campo (!) e recolher aos balneários, lembrando-se de apitar para intervalo quando já estavam a chegar à entrada dos balneários! Inacreditável!

Com o jogo estragado e com os ânimos exaltados, a segunda parte não augurava nada de bom. E assim foi… o recital da asneira continuou… Primeiro, um penalty muito duvidoso a favor da equipa da casa que foi prontamente assinalado pelo 1º árbitro assistente, o mesmo que, logo a seguir, deu indicação ao árbitro principal para expulsar (cartão vermelho direto!!!) os jogadores Tiago Ressureição e João Vitor que se encontravam a aquecer. Alegadamente, os referidos jogadores disseram alguma coisa que o 1º árbitro assistente, muito suscetível de ouvido, não gostou. Mas a suscetibilidade do 1º árbitro assistente era apenas de ouvido e direcionada para os jogadores do SC Beira-Mar. Já a sua boca não mostrou qualquer suscetibilidade quando, em pleno jogo, se virou para um adepto do SC Beira-Mar que estava na bancada e lhe chamou “filho da puta”. Um comportamento absolutamente indigno por parte de alguém que se apresenta em campo com as insígnias da Associação de Futebol de Aveiro e que foi testemunhado por várias pessoas.

Já perto do final, o guarda-redes Samuel Biscaia, quando tinha a bola em seu poder, é pisado por um adversário e fica, lesionado, no chão. O árbitro, ainda insatisfeito – quiçá com o resultado que era favorável ao SC Beira-Mar -, apesar de ser seu dever interromper de imediato o jogo, ignorou a situação e não fosse a atenção de Cristiano a colocar a bola fora, teríamos assistido a mais um “golpe de teatro” neste jogo.

Quando o relógio apontava para os 45 minutos da segunda parte, o árbitro deu indicação de mais quatro minutos de compensação, mas apenas concluiu o jogo aos 57 minutos! Eventualmente, quis compensar os minutos da primeira parte em que abandonou o campo mais cedo numa altura em que o resultado estava empatado, pois era percetível que a vitória do SC Beira-Mar neste jogo contrariava as intenções da equipa de arbitragem para este jogo.

No final, salvou-se a vitória do SC Beira-Mar que, nos intervalos das sucessivas asneiras da equipa de arbitragem, justificou claramente a vitória. Os jogadores auri-negros foram bravos. Lutaram contra um adversário valoroso, contra um terreno muito pesado e ainda contra uma equipa de arbitragem que, para bem do futebol, não pode continuar em funções!

O que se passou em Macieira de Cambra foi muito grave e, não fosse a intervenção de vários elementos de ambos os clubes a acalmar os ânimos dos adeptos, podia ter acontecido um dia muito negro para o futebol distrital.

Para que todos os agentes desportivos sejam conhecedores dos protagonistas do jogo de ontem, deixamos aqui os seus nomes:

Árbitro Principal: Christian Barbosa Correia
1º Árbitro Assistente: Fábio Silva Regadas
2º Árbitro Assistente: Diogo Pereira

O SC Beira-Mar conta com 94 anos ao serviço do desporto e é um dos clubes nacionais com mais participações na 1ª divisão nacional. Este clube não quer ser beneficiado, mas também não pode ser prejudicado, nem desrespeitado como ontem aconteceu.

Apesar da direção do SC Beira-Mar ter reunido formalmente, na passada segunda-feira, com o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro, irá solicitar o agendamento duma nova reunião na qual reivindicará a adoção de medidas que impeçam a repetição do triste espetáculo que aconteceu este domingo.

No próximo domingo, o SC Beira-Mar recebe o Pinheirense, às 15 horas, no Estádio Mário Duarte. Apelamos a uma forte presença dos sócios e adeptos auri-negros, pois mais do que nunca, teremos que estar unidos no apoio à nossa equipa para conseguirmos alcançar os nossos objetivos!

O Beira-Mar é Nosso!